Skip to content

Justiça: eu quero acreditar!

13 maio, 2009

 

A ADONE foi criada a partir de uma postura, que sempre adotei, de nunca aceitar passivamente o primeiro “sinto muito” que eu ouvia. Esta postura, por sua vez, é produto de minha crença em alguns valores, como por exemplo, a busca por nossos direitos.

Assim, no início, criei a ADONE com o objetivo principal de dividir esta experiência com outras famílias e contribuir para que todos os Pedros do Brasil desfrutassem das mesmas oportunidades que o meu. Mas logo descobri que esse processo era uma alegre via de mão dupla, onde além de ensinarmos e aprendermos uns com os outros, nos fortalecíamos e agregávamos valores mútuos, como a empatia e a solidariedade.

Ontem – dia 12/05/2009 – entretanto, minhas crenças foram desafiadas no aeroporto de Congonhas, em São Paulo, por onde passamos a cada seis meses desde 1993, para o tratamento médico do Pedro no Centro de Estudos do Genoma Humano.

Era o nosso retorno para casa. Como de costume, chegamos ao aeroporto com antecedência de mais de três horas e fizemos o chek-in no balcão da GOL normalmente, sendo sua cadeira de rodas motorizada despachada mediante a apresentação do laudo técnico do fabricante das baterias da mesma, como de costume. No horário marcado, fomos embarcados na aeronave com os demais passageiros e a cadeira levada para ser colocada no porão. Foram feitas as apresentações de segurança rotineiras dos vôos e – para nossa surpresa – antes da decolagem, um funcionário da GOL entrou na aeronave e anunciou que não poderíamos embarcar as baterias da cadeira de rodas, que eram consideradas cargas perigosas. Argumentamos que estávamos habituados a efetuar aquela viagem há vários anos, inclusive diversas vezes com a GOL, sendo que mesmo no dia anterior havíamos chegado a São Paulo sem problemas. Mostramos novamente o laudo técnico do equipamento. Explicamos que, sem as baterias, a movimentação do Pedro ficaria prejudicada, uma vez que sua patologia provoca fraqueza muscular que o impede de utilizar equipamento manual. Tudo em vão! Vários outros funcionários juntaram-se ao primeiro, nos acusando de estar colocando em risco a segurança dos demais passageiros, de estar ameaçando o cancelamento do vôo pela proximidade da hora de fechamento do aeroporto, e enfim, nos submetendo a constrangimento e humilhação pública na frente dos demais passageiros, que acabaram por juntar-se a eles nas acusações contra nós!

Não há palavras para descrever nossos sentimentos. De repente, nos vimos numa situação em que fomos literalmente transformados em vilões. Uma espécie de ameaça pública. Fomos condenados sem julgamento e obrigados a deixar para trás as baterias que – segundo eles – seriam transportadas pela TAM no dia seguinte!

Ainda apelamos para o bom senso deles, questionando que se a TAM iria transportar, porque não a GOL? Ouvimos da funcionária a absurda explicação de que a GOL possui uma regra que impede o transporte do equipamento.

Durante todo esse suplício – que durou quase uma hora – tivemos que olhar, impotentes, para o rosto assustado de meu filho sendo submetido a tão cruel injustiça sem que nada pudéssemos fazer.

Pouco antes do avião aterrisar em Campo Grande, ouvi dele as seguintes palavras: “Mãe, se a médica de São Paulo não puder vir a Campo Grande me consultar, eu não quero mais retornar para o tratamento”. Naquele momento, tudo que ensinei a ele, tudo em que eu acredito e que divido diariamente com as outras famílias da ADONE, parecia ser arrancado de dentro de mim. E, ali descobri que a alma dói. Dói fisicamente, mesmo!

Foi uma noite insone e de muita reflexão, de onde extrai as seguintes questões que aqui registro:

1- Por que após tantas viagens – inclusive pela própria GOL, cujo último transporte havia ocorrido no dia anterior – só ontem as baterias não poderiam ser transportadas?

2- Por que a recusa não foi apresentada no chek-in – realizado com mais de três horas de antecedência – mas somente após o embarque, o início do procedimento de decolagem e diante de todos os demais passageiros?

3- Por que, diante de nossa insistência e argumentos, não foi acionado um funcionário capacitado para julgar o mérito da questão ?

4- Por que a garantia de que a TAM transportaria as baterias no dia seguinte? Não estão todas as companhias aéreas sujeitas às mesmas leis?

E, finalmente, a pergunta que não quer calar:

5- Pode uma companhia aérea, concessionária de serviço ao público, criar uma regra ou lei que contraponha-se aos sagrados direitos de ir e vir e de manutenção da saúde garantidos na Constituição Federal e na Declaração Universal do Direitos Humanos?!

Tomamos a decisão de acionar judicialmente a GOL, por constrangimento e humilhação. Para isso, estarei contatando meus advogados.

Não sei se a Justiça nos dará ganho de causa e, mesmo se der, não sei se será o suficiente para curar as feridas que este episódio deixará em nossas almas. Mas o prejuízo maior seria, com certeza, perder a fé nos valores que estruturaram nossas vidas até aqui.

EU QUERO ACREDITAR! Eu preciso continuar a acreditar que a justiça existe e é uma conquista daqueles que não desistem nunca!

Atualização 14/05/2009

Às 14:45 h. de ontem – dia 13/05/2009 – recebi um telefonema da GOL avisando que as baterias acabavam de chegar a Campo Grande e solicitando o endereço para entrega. Perguntei se poderia receber um documento de comprovação de remessa do equipamento pela TAM que – segundo a GOL me informara em São Paulo – seria a companhia que efetuaria o transporte de volta. Para minha surpresa, a funcionária me explicou que o transporte foi feito pela própria GOL, pois – na manhã seguinte ao episódio – a equipe de segurança da empresa julgou por bem aceitar o laudo técnico que eu havia apresentado.

A seguir, a servidora transferiu a ligação para uma outra – hierarquicamente superior – que passou a desculpar-se em nome da empresa pelo ocorrido, colocando-se à disposição para, numa outra oportunidade, ser contatada anteriormente de forma a garantir que o incidente não se repita. Alguns minutos depois, um motorista sem uniforme, num carro sem identificação chegou à nossa residência e entregou as baterias sem qualquer documento!

Já hoje pela manhã – dia 14/05/2009 – recebi uma ligação da Casa da Saúde, órgão do Governo do Estado que fornece as passagens para o tratamento do Pedro em São Paulo, buscando informações sobre o “problema que havia acontecido com a bagagem do Pedro”, uma vez que a Condor Turismo – empresa de turismo que serve ao Governo do Estado – fora contatada pela GOL, que desejava esclarecer o episódio.

Diante disso, acrescento mais algumas questões às anteriores:

6- Se a GOL possui uma equipe de segurança com autoridade para deliberar sobre questões pertinentes, por que o responsável não foi acionado na noite do episódio, conforme insistíamos em solicitar na ocasião?

7- E quanto à tal regra ou lei da GOL invocada pelos funcionários que criaram a situação – inclusive pelo próprio comandante da aeronave – que citou-a na justificativa que fez pelo atraso aos outros passageiros durante o vôo? Bastou um parecer da equipe de segurança para que fosse revogada?

8- Por que, de repente, a GOL passou a mostrar-se tão preocupada em desculpar-se e justificar-se?

Após a divulgação deste texto, já recebemos inúmeras mensagens de apoio e indignação solidária, as quais agradecemos de coração, pois estão sendo alento para nossos corações.

Atualização 16/05/2009

Numa demonstração do quanto a internet pode ser um veículo eficiente, dentre as inúmeras mensagens que temos recebido, uma, do Leonardo, foi de imensa ajuda no sentido de municiar a ação que pretendemos mover contra a GOL. Explico:

O Leonardo enviou o link da Resolução ANAC n. 009, de 5 de junho de 2007 que dispõe sobre  o acesso ao transporte aéreo de passageiros que necessitam de assistência especial.

Nesse instrumento jurídico há vários artigos que proíbem a discriminação e o impedimento de acesso de portadores de deficiência e seus suportes de vida ou locomoção em aeronaves, além de um artigo específico que faz referência a cadeiras de rodas motorizadas movidas a baterias secas (ou seja, com tecnologia VRLA), como especifica o laudo técnico que apresentamos à GOL.

Mais ainda, há um artigo que recomenda ao usuário apresentar com antecedência mínima de 72 h. laudos técnico e médico que descreva a necessidade do uso e transporte do equipamento pelo paciente.

Acontece que possuímos documentação comprovatória de que protocolamos ofícios com todos estes documentos junto à ANAC e à GOL, com três meses de antecedência!

Ainda nesta mesma legislação, no Artigo 35, encontramos referência a uma outra – o Doc. 9284 AN/905 – que contém as  Instruções Técnicas para o Transporte sem Risco de Mercadorias Perigosas por Via Aérea.

Na página 35 deste último documento, a alínea “j” do subitem 12.1, do item 12 normatiza claramente o transporte de ‘cadeiras de rodas ou outra ajuda motriz, equipadas com baterias antiderramáveis‘.

Não sou advogada e passarei todas essas novas informações para meus advogados. Mas, mesmo sendo leiga, não vejo como a GOL poderia justificar o ocorrido frente a tantos documentos legais que apontam para o absurdo dos fatos.

Desejo sinceramente que jamais nada igual ou semelhante aconteça a ninguém! Mas caso aconteça, espero que as informações contidas nesse registro possam ajudar outras vítimas.

Mais uma vez, muitíssimo obrigada a todos que veem nos enviando mensagens de apoio e incentivo!

Anúncios

From → Artigo

39 Comentários
  1. thaisfrota permalink

    Mas que absurdo isso!!! Nunca vi isso acontecer!! Estou passada.
    E o povo em vez de ficar do lado de quem menos tem culpa, ficaram a favor da Gol! como pode?
    Indignada.

    • Rosana permalink

      Olha, Thais….com esse episódio, aprendi a triste lição de como o ser humano pode ser cruel e egoísta! Não desejo mal a ninguém, mas acredito que o Universo tem suas próprias leis e, pelo amor ou pela dor, todos acabarão tendo que responder pelo bem ou mal que fazem. Obrigada por suas palavras!

  2. Sou solidário com o seu problema, a Gol foi definitivamente, preconceituosa e isso é inadmissível.
    Vou protestar no site deles também.
    Fábio

    • Rosana permalink

      Faça isso, Fábio. São essas manifestações de apoio que nos levantam o ânimo e nos lembram que a luta ainda não acabou. Obrigada!

  3. Sheila Vasconcelos permalink

    Querida Rosana,
    Imagino como deve ter sido difícil para sua família passar por essa injustiça, mas não deixe que esse triste epsódio desanine vocês. Tenho certeza que o grande Pedro superará essa situação e continuará sendo exemplo de força.
    Recorra mesmo a Justiça.
    Um beijo

  4. Fernanda permalink

    Que absurso Rosana!!!!! Infelizmente alguém tem que passar por esses aborrecimentos para que algo definitivo seja feito!!!!!!!! Me lembrei de nossas últimas conversas quando dizia que estava tranquila que a caixa da bateria vinha com as especificações de que ela poderia ser transportada em aviões. As pessoas que querem realmente mudanças e não se calam frente a esses e tantos outros absurdos de nossa realidade de uma forma ou de outra passam por esses tipos de constrangimentos. Não tem como prever certos tipos de ingnorâncias!!!!!! Te dou total apoio em acionar judicialmente a Gol e espero saber dos resultados. Comunique a todos nós!!!! Força e não desista nunca!!!!!!! A sua força é espelho para tantos outros e principalmente para seu filho!!!!!Grande abraço. Fernanda

    • Rosana permalink

      Pois é, Fernanda….se não fosse pelo apoio dos amigos e das mensagens que vocês estão mandando, não sei como estaríamos reagindo. Obrigada!

  5. Leandro kdeira permalink

    Lamentavél a atitude da Gol.

    • Rosana permalink

      Mais que lamentável, Leandro. Foi criminosa e descriminatória.

  6. Conceição permalink

    Rosana,
    Boa tarde!
    Estou muito indignada.
    Tb sou mãe de um rapaz chamado Pedro, e “Pedros” tem atitude, por isso falou que não iria mais ir a São Paulo. Ele irá reconsiderar, mãe de Pedro saberá conduzir todo esse caos, somos boas nisso.
    Bem, escrevo para mostrar nossa solidariedade.
    Um gde bjo para vc e para o teu Pedro
    Conceição

    • Rosana permalink

      Puxa, Conceição…que bom ouvir isso!!! Também tenho certeza que meu Pedro vai superar tudo. Que Deus abençõe a você, a seu Pedro e a todos os outros Pedros do Brasil.

  7. Adriana Quevedo permalink

    Dá para imaginar um pouco do que vocês passaram, mas só sabe mesmo quem passa na pele esse tipo de difamação e constrangimente. Ainda mais quando fazem isso com alguém que amamos muito. Não deixa sair barato não! A Gol vai encher de cuidados agora, mas nada apaga o transtorno e a decepção. Sinto muito por você ter passado por isso. E que bom que sua indignação vai servir de alerta a todos nós e à própria Gol para não se meter mais com a Presidente da ADONE!

    • Rosana permalink

      Espero que sirva para que eles não repitam isso com ninguém!!!! Obrigada por seu apoio, Adriana.

  8. Bete permalink

    Oi Rosana, li seu comentario no blog do Jairo e vim dar uma espiada. É um absurdo isso o que aconteceu! Você devia relatar tudo para ANAC, INFRAERO, Ministerio Público. você pode inclusive pleitear uma indenização pelos danos sofridos pelo seu filho.
    Sabe que eu estive em Cuiabá no mes de fevereiro. Fui passar férias lá pois alguns parentes moram lá. Eu uso aparelhos e muletas. No dia do embarque da volta para SP, uma funcionaria do aeroporto fez questão de me revistar minuciosamente porque o detetor de metal disparou na minha passagem, Claro que disparou, eu uso orteses!! Pior é que estava de vestido e dava para ver nitidamente a origem do disparo de detetor de metal. Também me senti muito mal e fiquei muito revoltada com essa humilhação. Conte com a minha solidariedade.

    • Rosana permalink

      Acredite, Bete, eu já tinha protocolado ofício à ANAC e à própria GOL com laudos médico e técnico anexados, em fevereiro, pois já tivemos que brigar e nos justificar em viagens anteriores. Mas dessa vez eles passaram dos limites e são as cópias desses documentos protocolados que municiarão a ação que moverei contra a GOL. Obrigada por suas palavras.

  9. Vera Lícia permalink

    Uma empresa aérea deveria estar preparada e instruída para receber passageiros cadeirantes. Isso demonstra que não estão acompanhando nem seguindo a legislação. Quanto aos atrasos não justifica a atitude deles, uma vez que vivem atrasando por manutenção fora de hora e outros motivos que os passageiros querendo ou não tem que acatar.Não se sensibilize com os telefonemas da empresa e segue nas denuncias. Eles precisam tomar atitudes no momento certo e não depois de colocar as pessoas em situações constrangedoras.
    Bjos

  10. Maysa permalink

    Que horror!! Uma vez passamos por situação semelhante, mas foi por pura desinformação do funcionario. Eles não queria embarcar as baterias, fizemos um “AUÊ” no chekin, e acabaram levando sem problmeas. É um desaforo por parte deles fazerem isso. Tem msm é que levar isso em frente, pra ver se ao menos nao fazem com outras pessoas. Beijo e to contigo

    • Rosana permalink

      Também espero que, após o resultado da Justiça, ninguém mais passe por isso.

  11. Lilian permalink

    Irmã,
    Acho que vc deve , e a Jéssica com os contatos dela vai ajudar, levar o fato a conhecimento do maior número de pessoas possível ,sem nenhum “barulho”,eles vão , o mais rápido possível, “esquecer” o fato pois , a estas alturas já devem ter percebido o absurdo da atitude preconceituosa que tiveram.
    Ainda bem que nosso Pedro é a pessoa mais linda que conheço e sei que ele vai superar mais essa. Amo vocês!

    • Rosana permalink

      Obrigada, minha irmã….se não fosse a família não teríamos chegado até aqui. Não vai ser dessa vez que entregaremos os pontos, né?

  12. marlene permalink

    Rosana,
    Bom Dia!
    Deixo aqui a minha solidariedade e o meu apoio.
    Força ,fé e coragem.
    bjs

  13. Tânia Brito Ribeiro permalink

    Meus Queridos,
    Estou indignada,parece que as pessoas esqueceram-se do que é “Ser Humano”,coragem, não devemos perder a esperança de um mundo melhor, e a melhor atitude contra o preconceito é não fingir que não aconteceu. Espero que vocês e seu filho Pedro, que se encontra envolvido em muitas preces supere mais essa etapa.Fiquem com Deus.

    • Rosana permalink

      Acredite, Tânia….essas preces já estão nos trazendo muitas bençãos, como por exemplo descobrir legislação da ANAC que nos dá razão. Muitíssimo obrigada pr suas palavras!

  14. Querida Rosana, transmiti sua informação à pessoas que conheço, pois situações assim, como a vivida por vc e Pedro não podem ficar engavetadas. É importante que todos saibam dos acontecimentos para que medidas contra atos indignos e desumanos sejam tomadas. Realmente é uma questão de justiça! Beijos e conte comigo.
    Com carinho,
    Vania de Castro

  15. Oi Rosana minha solidariedade.
    Fiquei indgnada, revoltada mesmo, até por vc n ter tido o apoio das outras pessoas,que gente é essa que só olha para o proprio umbigo?
    Nosso Brasil esta precisando de governo,esta cada um fazendo suas proprias leis, passando por cima de tudo e de todos.
    Que Deus conforte seu coracão e o nosso tambem porque nos abalou.
    Um fraterno abraço
    Janette

    • Rosana permalink

      Obrigada, Janette…..este episódio, com a reação das pessoas a bordo e agora, com as mensagens que estamos recebendo, me ensinaram duas coisas – paradoxais – sobre as pessoas: de como podemos ser cruéis e solidários em iguais proporções. Precisamos estar sempre vigilantes.

  16. joaquimbasso permalink

    Emocionante – infelizmente, no sentido negativo da palavra – o relato. Isso digo como amigo do Pedro.
    Como advogado, posso dizer que é inescondível o erro (para não dizer “os vários erros”) cometido pela companhia. O dano moral é patente. Eles próprios CONFESSARAM o erro ao trazerem, eles mesmos, a bateria no dia seguinte. Só posso sugerir que vocês se assegurem de que os fatos possam ser provados, porque o direito aqui é evidente. Em juízo, contudo, a GOL certamente questionará os fatos, já que no Direito (como aquela resolução da ANAC claramente pontua), eles não têm muito por onde escapar.
    Acredito na Justiça também e acho louvável fazê-lo diante de uma situação dessas. Registro meu apoio e disponibilidade a qualquer necessidade para o caso.
    Abraço, Rosana!

    • Rosana permalink

      Obrigada, Joaquim…..estamos reunindo cópias de todos os documentos comprovatórios que temos e vamos entregar aos advogados. Estamos confiantes.

  17. Naelson Ferreira permalink

    Olá Rosana,
    Em nome de 622 pessoas com deficiência física ou mobilidade reduzida os quais se tratam no Centro de Referência em Distúrbios do Movimento em Campo Grande – MS, queremos aqui deixar registrado a nossa moção de apoio a sua atitude, e de repúdio a atitude dos funcionários da Gol diante este episódio.
    A partir do momento em que as pessoas que passarem por constrangimento e ou humilhação como a que vocês passaram, tiverem a mesma atitude que vc esta tendo em entrar na justiça em desfavor da empresa que praticou o ato, com certeza fatos como estes não mais acontecerão.
    Conte conosco.
    Abraços, Naelson.

    • Rosana permalink

      E que essas 622 pessoas saibam que esta nossa luta também é por elas, e o resultado que dela vier também será conquista de todos.

  18. Ah! Queria Tanto
    Por Vania de Castro

    Ah!! Queria tanto, tanto
    que nos quatro cantos
    houvesse o canto do bem-querer
    sem exaltação
    apenas bem-querer
    o sentimento permanente de solidariedade
    existisse no fundo do coração
    desde a mais tenra idade
    e sem vaidade
    pudéssemos usufruir
    o direito de ir e vir
    com segurança, abrigo, harmonia e fantasia
    plena comunhão com o outro
    não importa se daqui ou acolá
    importa irradiar humanidade

    Ah! queria tanto, tanto
    que as pessoas carregassem a cor do arco-íris
    tatuada no corpo
    ou as notas musicais em seus corações
    que o canto dos pássaros penetrasse na corrente sanguínea
    e antes de qualquer ato,
    o tato
    surgisse em primeiro lugar
    o verde do nosso Brasil Brasileiro
    ficasse registrado profundo no mundo
    no meu, seu, nosso mundo
    perpetrado de Raimundos
    Marias, Aparecidas, Joãos, Josés, Pedros
    que querem tanto quanto eu e você
    viver com dignidade, alegria, respeito e justiça

    • Rosana permalink

      Que lindo, Vania! Palavras tão repletas de verdade tornam seu poema um verdadeiro hino de expressão universal do sentimento de milhares de pessoas cujo desafio é viver e ser feliz num mundo que não está preparado para recebê-las. Vou publicá-lo no blog da Adone. Muitíssimo obrigada!!!!

      • Querida Rosana tem um verso de um poema de Cecília Meireles que faz parte do meu dia a dia: “Mas a vida, a vida, a vida só é possível reinventada.” A letra de uma música de Raul Seixas, também, virou música de cabeceira rs: “Um sonho que se sonha só, é só um sonho que se sonha só. Um sonho que se sonha junto é realidade.” Acredito nisso, assim como não devemos fazer economia de afeto, não podemos fazer economia de justiça, não é? Um grande beijo pra você, Pedro, fa- mília e membros da ADONE.

  19. Tia querida,

    Chorei aqui na frente do meu computador quando li seu relato sobre o acontecimento e o post do blog do Pedrinho que mais uma vez nos mostra como ele é uma pessoa realmente única e especial.
    Estamos do seu lado para qualquer coisa!

  20. Felipe permalink

    Olá Rosana,
    Sou de Porto Alegre, RS, e viajei pela GOL para Brasília nesta semana, e possuo 1 cadeira motorizada, e para a viagem, adquiri a mesma bateria que o Pedro utiliza na cadeira dele. No embarque em Porto Alegre, foi tudo tranquilo, exceto pela trapalhada ação dos funcionários da empresa que tentaram desmontar partes da cadeira que não passam por esse processo. O atendimento foi igualmente muito satisfatório por parte da tripulação do vôo, bem como o processo de aquisição da passagem com desconto de 80% para meu acompanhante, feito pela equipe do primeiro atendimento telefônico, que se mostrou preparada para atender as minhas necessidades. Em Brasília, no retorno, ao contrário do embarque, houve muita complicação acerca da viabilidade do transporte das baterias, apesar de haver o laudo técnico da empresa, informando sobre o perfil “antiderramável” exigido pela norma técnica da ANAC que tu informa no teu relato. Após 1 hora de muita negociação e diversos profissionais envolvidos, pude enfim, repleto de adesivos da GOL pendurados pela cadeira, passear pelo aeroporto e aguardar o embarque. Evidentemente que não passei pelo sofrimento do Pedro e de vocês, mas também senti o quanto precisamos constantemente enfrentar desafios. Mas diga a teu filho, que é com o enfrentamento desses que crescemos e nos tornamos mais fortes para seguir em frente, e que desistir, só tornará mais difícil a tarefa para aqueles que também precisam enfrentar esses obstáculos.
    Forte Abraço a vocês.

  21. Palmas para a Justiça! Palmas e mais palmas para Pedro!

Trackbacks & Pingbacks

  1. Enfim, justiça. | Blog da ADONE

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: